07/02/17

CONGRESSO NACIONAL PARA ASSISTENTES OPERACIONAIS E TÉCNICOS AUXILIARES DE SAÚDE


   Organizado e realizado pela ATSGS ( Associação de Trabalhadores dos Serviços Gerais de Saúde ), este ano subordinado ao tema: "Assistentes Operacionais/ Técnicos Auxiliares de Saúde que futuro".




 


















22 comentários:

João Fael disse...

Bom congresso, mas não acho nem mais ou menos que esta associação represente os ex Auxiliares de Acção Médica, actuais Assistentes Operacionais e futuros Técnicos Auxiliares de Saúde.

Anónimo disse...


Boa tarde João.

A tua ignorância e falta de conhecimentos do teu comentário, revelam a tua inoperância e bom senso. Tenho dúvidas sobre a tua profissão. Pareces-me um embuste ou uma caricatura carnavalesca.

Esta Associação, é a única que nos tem representado, valorizado e que continua a lutar por nós.

Se há congressos, se há reuniões com o Ministro da Saúde e uma nova categoria publicada e discutida na Assembleia da República, deve-se à Associação de Trabalhadores dos Serviços Gerais da Saúde, em cujos elementos acredito e que sempre disseram a verdade.

João, se não reúnes condições para ser Técnico Auxiliar de Saúde, continua a limpar instalações sanitárias, efectuar todas as tarefas de limpeza e ser capacho dos enfermeiros e outros e deixa-nos seguir os nossos caminhos.

Peço à Associação de quem sou associada há muitos anos, para não desanimarem com estes péssimos comentários, porque o João é sindicalista e não um associativista, daí o seu desconhecimento da minha Associação e sua representatividade.

Fica bem e não promovas o mal,

Quinita



Anónimo disse...

Cara Quinita:
Pelo que li, não tem seguido o percurso profissional e formativo do nosso colega João Fael. Ele foi um dos que acreditou na categoria publicada e discutida na Assembleia da República. Por isso meteu pés ao caminho e com dedicação e esforço, o nosso colega alcançou o TÍTULO de Técnico Auxiliar de Saúde. E que ganhou para além do canudo? Formação, responderá Quinita. E a carreira TAS? Sabe, os diversos Governos do nosso país, designadamente os Ministros da Saúde e seus secretários, desde 2008 que andam a gozar com profissionais dedicados, trabalhadores, muitas vezes ignorados e mal-tratados, mal pagos, aguentando até ao limite das suas forças físicas e anímicas e acreditando num dia melhor, numa regulamentação da sua carreira e ainda muitos de nós acreditam nas promessas que periodicamente as gestões de recursos humanos nos fazem.
E muitos de nós, cansados, desmotivados, trabalhamos em horários que nos transformam nos escravos do século XXI, alguns, dizia eu, ainda acreditam que as coisas vão mudar.
Voltando aos comentários do João Fael, só tenho a dizer que ele é testemunho da realidade que os Assistentes Operacionais estão a viver hoje. Quanto aos TAS, enquanto o Ministério da Saúde não aprovar e regulamentar estamos na mesma ou pior, porque os milhares de trabalhadores continuarão a ser ignorados e tratados como o grupo mais pobre na saúde.

Anónimo disse...


Gostava de saber qual o percurso formativo do nosso colega João Fael. Quando, como e onde o fez, assim como o perfil e referencial do conteúdo formativo de acordo com a legislação em vigor para o efeito.
Dos fracos não reza a história e como me parece ser uma pessoa forte bem formada e com conhecimentos relevantes, gostava de saber o que faz como Técnico Auxiliar de Saúde, ou se continua a exerecer funções como Assistente Operacional.
Após a resposta, voltarei a intervir, pelo respeito dos que acreditam e estão motivados para um percurso exigente e de valorização profissional.
No entanto continuo a discordar da crítica que faz à ATSGS, pois apesar de não conhecer em termos pessoais nenhum dos seus elementos, quando necessitei sempre me ajudaram a resolver os meus problemas laborais.

Quinita

Anónimo disse...

de repete associação imita a concorrência no congresso..... não dá oportunidades aos assistentes operacionais divulgarem o seu trabalho ..... depois é no que dá.....

João Fael disse...

Muito Boa Tarde

Por uma questão de educação e respeito deixei que o congresso da ATSGS terminasse para fazer mais comentários.

E também continuo a ter a mesma opinião sobre a respectiva associação, por isso solicito que respeitem a mesma, quanto ao referencial do Técnico Auxiliar de Saúde, foi tudo feito na integra pela Ordem dos Enfermeiros.

Por isso eu como defendo valores e princípios, e nem estou aqui e nem vim a este planeta para descer a níveis como algumas pessoas descem.

Mas também humildade não é sinónimo de humilhação.

E nem tenho que justificar as minhas opiniões seja a quem for, agora tenho valores e princípios pelos quais pugno tod@s os dias.

Já agora a limpeza, lavagem, desinfecção e descontaminação dos espaços hospitalares e dispositivos médicos, são tão ou mais importante que muitos anti biótico que dão aos doentes, e é com todo a honra que faço as mesmas com muita honra e prazer, para que se evite a inadmissível situação de que morrem mais de 12 pessoas por dia com infecções hospitalares em portugal, pela má prática de não fazer com emanam os protocolos.

Esses mesmos valores e princípios pelos quais pugno todos os dias da minha vida, como condição "SINE QUA NON", de estar na vida em atitude de carácter e postura, como são a educação, respeito e consideração, sempre com sinceridade, humildade e modéstia, a verdade acima da verdade, pela transparência, equidade, igualdade, dignidade, a palavra dada ser um ponto de honra, ética e coerência, pela amizade verdadeira, praticando o bem e ajudando o próximo, respeitando as opiniões, ideais e ideias dos outros mesmo não concordando, mas sempre respeitando, tendo uma cultura de mentalidade de dialogo e resposta, mas sempre dentro do respeito, e a liberdade de cada pessoa acaba quando começa a do outro.

Quanto ao meu percurso profissional, vou deixar aqui o link do meu perfil na rede social que uso, nem tinha que deixar, mas o mesmo é publico e conhecido, também dou formação no referencial de Técnico Auxilia de Saúde.

https://www.facebook.com/joao.fael.5

Mas adianto que como ex AAM, actual AO, nos 52 hospitais do SNS só eu e mais um colega no activo, temos a formação, qualificação e certificação de Técnico Auxiliar de Saúde", com o referencial da ANQEP.

http://www.anqep.gov.pt/default.aspx

Já agora fica aqui também uma petição que fiz, mas não é por ter sido eu a fazer a mesma, mas sim pelo conteúdo da mesma.

Agora é só começar a assinar a petição, quantas mais assinaturas mais força teremos.

É por uma causa justa, pela dignidade de uma categoria e carreira, que quer cada vez mais servir os doentes, com excelência de qualidade, do bem hajam, ficamos muito gratos.

Entretanto partilhem pelas vossas listas de amizades, amigos, colegas, familiares e sociedade civil.

“Alerto ainda de que devem colocar o nome completo.”

Assistentes Operacionais a Técnicos Auxiliares de Saúde.

peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT78202

Fica aqui também o link da página criada.

https://www.facebook.com/AssistentesOperacionaisATecnicosAuxiliaresDeSaude/?ref=settings

Bem hajam.

João Fael disse...

Outra situação, mesmo sendo por esta via, gosto que as pessoas coloquem o nome e até foto, como eu não tive e nunca terei em colocar.

João Fael disse...

Além de que tenho e nutro, muito respeito e educação pelo colega que gere este magnifico Blogue, e que mais colegas deviam ver.

João Fael disse...

E já sou profissional nesta area, desde o ano de 2005.

O Referencial é o seguinte, e foi tirado no IEFP, mas em termos de formação na area da saúde e em serviço tenho mais de 3000 horas, não cabem aqui os certificados todos, alem de que em 2005 tirei então na altura a formação de Auxiliar de Acção Médica", que tinha uma carga horária de 600 horas .

1175 horas.

REFERENCIAL DE FORMAÇÃO - FORMAÇÃO TECNOLÓGICA
REFERENCIAL DE FORMAÇÃO - FORMAÇÃO TECNOLÓGICA | Técnico/a Auxiliar de Saúde - Nível 4 | 12-08-2013 1 / 3
1. Referencial de Formação Global
Formação Tecnológica 2

Código 1 UFCD pré-definidas Horas

6557 1 Rede Nacional de Cuidados de Saúde 50 Horas.

6558 2 Actividade profissional do/a Técnico/a Auxiliar de Saúde 25 Horas.

6559 3 Comunicação na prestação de cuidados de saúde 50 Horas.

6560 4 Comunicação na interacção com o utente, cuidador e/ou família 50 Horas.

6561 5 Trabalho em equipas multidisciplinares na saúde 50 Horas.

6562 6 Prevenção e controlo da infecção: princípios básicos a considerar na prestação
de cuidados de saúde 50 Horas.

6563 7 Prevenção e controlo da infecção na higienização de roupas, espaços, materiais
e equipamentos 50 Horas.

6564 8 Prevenção e controlo da infecção: esterilização 50 Horas.

6565 9 Noções gerais sobre células, imunidade, tecidos e órgãos - sistemas osteoarticular
e muscular 50 Horas.

6566 10 Noções gerais sobre o sistema circulatório e respiratório 50 Horas.

6567 11 Noções gerais sobre o sistema gastrointestinal, urinário e genito-reprodutor 50 Horas.

6568 12 Noções gerais sobre o sistema neurológico, endócrino e órgãos dos sentidos 25 Horas.

6569 13 Noções gerais sobre a pele e sua integridade 25 Horas.

6570 14 Abordagem geral de noções básicas de primeiros socorros 25 Horas.

6571 15 Técnicas de posicionamento, mobilização, transferência e transporte 50 Horas.

6572 16 Higiene, segurança e saúde no trabalho no sector da saúde 50 Horas.

6573 17 Qualidade na saúde 25 Horas.

6574 18 Cuidados na higiene, conforto e eliminação 50 Horas.

6575 19 Cuidados na alimentação e hidratação 50 Horas.

6576 20 Cuidados na saúde do idoso 50 Horas.

6577 21 Cuidados na saúde infantil 50 Horas.

6578 22 Cuidados na saúde materna 25 Horas.

6579 23 Cuidados na saúde mental 25 Horas.

6580 24 Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis 50 Horas.

6581 25 Gestão do stress profissional em saúde 25 Horas.

REFERENCIAL DE FORMAÇÃO - FORMAÇÃO TECNOLÓGICA | Técnico/a Auxiliar de Saúde - Nível 4 | 12-08-2013 2 / 3

6582 26 Cuidados de saúde a pessoas em fim de vida e post mortem 25 Horas.

6583 27 Organização dos espaços, tipologia de materiais e equipamentos específicos das
unidades e serviços da Rede Nacional de Cuidados de Saúde 50 Horas.

6584 28 Manutenção preventiva de equipamentos e reposição de materiais comuns às
diferentes unidades e serviços da Rede Nacional de Cuidados de Saúde 25 Horas.

6585 29 Circuitos e transporte de informação nas unidades e serviços da Rede Nacional
de Cuidados de Saúde 25 Horas.

Total: 1175

l No caso dos cursos de Educação e Formação de adultos (EFA) e nas formações modulares certificadas, à carga horária da
formação tecnológica podem ser acrescidas 210 horas de formação prática em contexto de trabalho, sendo esta de carácter
obrigatório para o adulto que não exerça actividade correspondente à saída profissional do curso frequentado ou uma actividade
profissional numa área afim.
l No caso dos cursos de Aprendizagem, parte das UFCD que integram a formação tecnológica pode ser desenvolvida na formação
prática em contexto de trabalho, de acordo com as orientações para o desenvolvimento desta componente de formação, disponíveis
em www.iefp.pt

João Fael disse...

Continuação.

1 Os códigos assinalados a laranja correspondem a UFCD comuns a dois ou mais referenciais, ou seja, transferíveis entre referenciais de
formação.
2 À carga horária da formação tecnológica podem ser acrescidas 210 horas de formação prática em contexto de trabalho, sendo esta de
carácter obrigatório para o adulto que não exerça actividade correspondente à saída profissional do curso frequentado ou uma actividade
profissional numa área afim.

João Fael disse...

Se alguém quiser envie o email, que eu envio todos os certificados que tenho, inclusive o de formador.

Anónimo disse...

Estimado,
copiei deste site o que está abaixo, com as aspas

"as carreiras estão paradas e não têm o seu devido registo na Autoridade Nacional de Qualificações, não existindo portanto, a profissão de Assistente Operacional (área da saúde) e a de Técnico Auxiliar de Saúde está por homologar pelo Ministério da Saúde."

E agora, s.f.f. diga:

Enquanto não tiverem uma CARREIRA com a respectiva CARGA FUNCIONAL e a instância reguladora da PROFISSÃO, pode ou não ser ORDEM, mas tem que ser reconhecida pelo Governo - chama-se CAPACIDADE DEVOLUTIVA - o que é que os Assistentes Operacionais, Auxiliares de Ação Médica, Técnicos Auxiliares de Saúde, etc estão à espera ? Que lhes caia do céu ? Então, quase 44 anos depois do 25 de Abril ainda não se organizaram e continuam com a mesma cantilena de queixas ?

Damiana

João Fael disse...

Muito boa noite.

Não compreendi o que copiou entre "", mas coloquei o link de uma petição que eu fiz para assinarem, para que a mesma tenha as 4000 assinaturas que são exigidas para dar entrada no parlamento, pois o que foi criado foi o que diz nesta portaria Portaria n.º 1041/2010
de 7 de Outubro O Decreto -Lei n.º 74/2004, de 26 de Março, rectificado
pela Declaração de Rectificação n.º 44/2004, de 25 de
Maio, com as alterações introduzidas pelo Decreto -Lei
n.º 24/2006, de 6 de Fevereiro, rectificado pela Declaração
de Rectificação n.º 23/2006, de 7 de Abril, estabeleceu os
princípios orientadores da organização e gestão do currículo,
bem como da avaliação e certificação das aprendizagens
do nível secundário de educação, definindo a diversidade
da oferta formativa do referido nível de educação,
na qual se incluem os cursos profissionais vocacionados
para a qualificação inicial dos alunos, privilegiando a sua
inserção no mundo do trabalho e permitindo o prosseguimento
de estudos.
No n.º 5 do artigo 5.º, determina o supramencionado
decreto -lei que os cursos de nível secundário de educação
e os respectivos planos de estudos são criados e aprovados
por portaria do Ministro da Educação.
Ao abrigo do mesmo diploma legal, veio a Portaria
n.º 550 -C/2004, de 21 de Maio, com as alterações entretanto
introduzidas pela Portaria n.º 797/2006, de 10
de Agosto, rectificada pela Declaração de Rectificação
n.º 66/2006, de 3 de Outubro, regular, na sua especificidade,
os cursos profissionais, definindo, no seu artigo 7.º,
os requisitos formais do acto de criação destes cursos e
determinando, no seu artigo 2.º, que a criação e organização
dos mesmos deverão obedecer, quanto às disciplinas,
formação em contexto de trabalho e respectivas cargas
horárias, à matriz curricular aprovada.
No seu artigo 4.º, a Portaria n.º 550 -C/2004, de 21
de Maio, prevê a possibilidade de apresentação de propostas
de novos cursos profissionais por parte das escolas,
tendo em vista as necessidades de oferta formativa,
designadamente no que se refere a perfis profissionais
emergentes.
Neste contexto, vem a presente portaria, através do
curso profissional de técnico auxiliar de saúde, colmatar
uma lacuna no que respeita à oferta formativa direccionada
para a qualificação profissional por ele visada.

De resto a nossa categoria nunca pode ter uma ordem, porque as mesma só podem ser criadas para cursos de licenciatura.

Quanto à organização, nunca vi categoria mais desunida, que num universo de 25 mil profissionais não se consegue as 4000 assinaturas, e foi por isso que criei a petição e a pagina na rede social, que também se ler bem têm nos comentários que fiz um link, e que volto aqui a colocar.

https://www.facebook.com/AssistentesOperacionaisATecnicosAuxiliaresDeSaude/

mais o link da petição.

http://peticaopublica.com/psign.aspx?pi=PT78202


João Fael disse...

Para quem pediu o meu percurso profissional na area da saúde, aqui fica o mesmo.

De 2005-07-01 a 2005-12-31, trabalhei como "Auxiliar de Acção Médica" no agora "Centro Hospitalar do Oeste Norte", antigo "Hospital Distrital das Caldas da Rainha." - Caldas da Rainha.
Exerci funções na Valência de "Auxiliar de Acção Médica", nos Serviços de "Cirurgia", "Imagiologia",
"Serviço de Patologia de Sangue", "Laboratório", Serviços de Resíduos Hospitalares.


De 2007-02-12 a 2007-10-07 trabalhei como "Auxiliar de Acção Médica" no "Centro Hospitalar de Lisboa Norte, EPE. " - Lisboa.
Exerci funções na Valência de "Auxiliar de Acção Médica", nos Serviço de Urgência Central, (SUC).

De 2007-10-08 a 2009-01-21 trabalhei como "Auxiliar de Acção Médica", no Hospital da Luz, SA" - Lisboa.
Exerci funções, na Valência de "Auxiliar de Acção Médica", no Serviço de Bloco Operatório.

De 2009-04-01 até este momento, trabalho como "Assistente Operacional" visto que a categoria de "Auxiliar de Acção Médica", foi extinta em 2009-01-01. no "Centro Hospitalar Cova da Beira, EPE", - Covilhã.
Exerci e Exerço funções como Assistente Operacional, na valência de "Auxiliar de Acção Médica", e Técnico Auxiliar de Saúde nos serviços de Enfermarias de "Especialidades Médicas", "Ortopedia", na "Urgência Geral", UAVC, Psiquiatria e UCAD - Unidade de Cuidado Agudos e Diferenciados,tendo como funções e competências, e sobre a supervisão de um profissional de Saúde, neste caso Enfermeir@s, e também executando as tarefas de higiene, alimentação e limpeza, desinfecção e descontaminação de espaços, dispositivos e equipamentos hospitalares.

Anónimo disse...

Estimado, não percebi o que não entendeu do copy-paste, mas vamos ao que interessa:

Já li a petição e os temas no link que me enviou;
a única e indiferenciada profissão que o governo reconhece aos ex-AAM é a de Assistentes Operacionais, inteiramente de acordo com a necessária clarificação OFICIAL das funções desses 25 000; nós somos todos utentes dos serviços de Saúde, públicos, principalmente, todos temos a ganhar.

A Autoridade para a Qualificação tem definida a profissão de
762190_RFA - Assistente Familiar e de Apoio à Comunidade
e respectiva carga funcional
file:///C:/Users/Operacional/AppData/Local/Microsoft/Windows/INetCache/IE/AMTL1U8K/762190_RFA_Assistente-Familiar-e-de-Apoio--Comunidade_Perfil.pdf

A portaria que o estimado João cita

Portaria nº 1041/2010 de 07-10-2010
ANEXO 2 - Curso profissional de técnico auxiliar de saúde
Perfil de desempenho à saída do curso

O técnico auxiliar de saúde é o profissional que, sob a orientação de profissionais de saúde com formação superior, auxilia na prestação de cuidados de saúde aos utentes, na recolha e transporte de amostras biológicas, na limpeza, higienização e transporte de roupas, materiais e equipamentos, na limpeza e higienização dos espaços e no apoio logístico e administrativo das diferentes unidades e serviços de saúde.
As actividades fundamentais a desempenhar por este profissional são:
1 - Auxiliar na prestação de cuidados aos utentes, de acordo com orientações do enfermeiro:
2 - Auxiliar nos cuidados post-mortem, de acordo com orientações do profissional de saúde.

3 - Assegurar a limpeza, higienização e transporte de roupas, espaços, materiais e equipamentos, sob a orientação de profissional de saúde
4 - Assegurar actividades de apoio ao funcionamento das diferentes unidades e serviços de saúde:
5 - Auxiliar o profissional de saúde na recolha de amostras biológicas e transporte para o serviço adequado, de acordo com normas e ou procedimentos definidos.
Início de Vigência: 12-10-2010

não tem enquadramento de CARREIRA nem de PROFISSÃO INDEPENDENTE. Está condicionada à INSTITUIÇÃO onde desempenhem os detentores deste curso. Passo a explicar, com os regulamentos de carreiras do INEM:

XII — Carreira de técnico de telecomunicações de emergência
XIII — Carreira de técnico operador de telecomunicações de emergência
XIV — Carreira de técnico de ambulância de emergência

file:///C:/Users/Operacional/AppData/Local/Microsoft/Windows/INetCache/IE/AMTL1U8K/d.r.%20regulamenta%20a%20carreira.pdf


Estas carreiras são do INEM, não são profissões.

Enquanto os seus colegas não interiorizarem as realidades em que vivem e a necessidade de se unirem para alterarem essas realidades, o resultado está à vista e espelhado nos comentários do facebook que referiu: a maioria são desabafos líricos, choraminguice velha de décadas e algumas "bocas" de quem não sabe do que fala. O estimado João tem, pelo menos, os pés no chão.

A maioria dos comentadores têm a experiência da realidade diária mas não a sabem interpretar, estou-me a lembrar de um comentário como "vou falar com o Bloco de Esquerda, que nos pode ajudar", pois, o Bloco-Muita-Parra-Pouca-Uva, que é abertamente anti-sindicatos vai ser de grande ajuda, vai ... vai fazer mais falta aos ex-AAM que uma viola num enterro - e o enterro é vosso, se não se unirem e organizarem.
Damiana

Anónimo disse...

Caro João Fael.

O que diz quanto ao perfil e referencial de Técnico Auxiliar de Saúde, aprovado pela Portaria nº1041/2010 de 07/10/2010, publicada em Diário da República pelo Ministério da Educação, revela ignorância, falta de respeito pelos seus colegas, assim como de conhecimentos.

Escreveu tanto e nada disse de verdade. Faz insinuações e não as concretiza.
Deixo-lhe um conselho:

Com tanta formação a peso, deverá frequentar cursos sobre ética e moral.
Sabe o que isso é? Aquilo que lhe falta.

Concluo dizendo: Você não tem o Curso de Técnico Auxiliar de Saúde, Face à legislação em vigor.

Atualize-se e diga a verdade sem atirar poeira para os olhos dos seus colegas.

Aguardo resposta.

João Fael disse...

Como nem sei o seu nome, percurso profissional, sabe o que lhe vou responder e é o que merece, é pura e simplesmente 0 de respostas.

Anónimo disse...

Estimado João, e agora, depois de ler essa parvoeira sem pés nem cabeça do Anónimo a que não quis responder - e realmente não merecia resposta - já acredita que, se continuam assim não vão a nenhum lugar ? Damiana

João Fael disse...

Caríssima Damiana.

Subscrevo que se não nos unirmos nada feito, e foi por isso que fiz a petição.

Quanto à categoria de Técnico Auxiliar de Saúde, ela ira ser uma realidade, não sei quando, mas pode ser que em 2018 haja novidades, porque a única situação que falta é mesmo só a regulamentação.

E existe sim aqui fica o link da mesma.

http://www.catalogo.anqep.gov.pt/Qualificacoes?Page=&CurrentPerPage=10&Designacao=&AreasFormacaoId=93&CodigoArea=&Nivel=&NivelQEQ=&RVCC=false&Parciais=false

Bem haja.


João Fael disse...

Cara Damiana.

Como reparou eu não desço ao nível de algumas pessoas, é que nem conheço a pessoa, nem se apresenta e por isso tudo dito, eu vou seguindo o meu caminho, dentro do respeito e educação, bem haja.

Também acho que o autor deste Blogue devia tomar uma posição em relação a comentários inapropriados e ofensivos, mas enfim.

Tenho a consciência tranquila.

Fique bem, tem o meu perfil e se quiser conversar mais diga algo, aqui neste blogue não comento mais nada.

Cora Martins disse...

Estou nem aí. Desde o dia que acabaram com a carreira de auxiliar de ação médica, carreira para a qual eu própria até me auto valorizei, tirando o cursos por conta própria. O que sente um ser humano quando nos tiram o tapete debaixo dos pés é o mesmo que eu senti e estou sem forças para lutar pelos meus direitos cão sem força fiquei depois desse duro golpe, ao que me parece aplicado pelo governo

João Fael disse...

Caríssima amiga e colega Cora Martins, a mim aconteceu-me o mesmo, e não foi por isso que desistir de lutar pela nossa categoria, e voltarmos a ter o que nos foi retirado, e por isso se quiser dar uma ajuda com a petição que fiz, fico muito grato. aqui fica a mesma, que pode assinar, com o nome completo, divulgar e partilhar a mesma por tod@s sem excepção, bem haja.

Agora é só começar a assinar a petição, quantas mais assinaturas mais força teremos.

É por uma causa justa, pela dignidade de uma categoria e carreira, que quer cada vez mais servir os doentes, com excelência de qualidade, do bem hajam, ficamos muito gratos.

Entretanto partilhem pelas vossas listas de amizades, amigos, colegas, familiares e sociedade civil.

“Alerto ainda de que devem colocar o nome completo.”

Ex. Auxiliares de Acção Médica Actuais Assistentes Operacionais a Técnicos Auxiliares de Saúde.

peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT78202