17/11/16

DIAGNOSTICAR O QUE JÁ ESTÁ DIAGNOSTICADO?

  
NOVA PROPOSTA DO NOVO REGIME DE FORMAÇÃO
NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
  

     

A notícia vem publicada no Dinheiro Vivo, suplemento semanal distribuído juntamente com o Jornal de Notícias. Depois de ler o artigo, fico com a ideia que alguma coisa se vai alterar nas carreiras gerais dos trabalhadores do Estado, independentemente do vínculo contratual.
Diz a notícia que:
"Os serviços e órgãos da administração pública vão ter de fazer diagnósticos sobre as necessidades de formação profissional e identificar os trabalhadores integrados nas carreiras gerais que não exigem licenciatura ou uma habilitação de grau superior, para que estes possam ser encaminhados para um programa de reforço de qualificações.
Esta é uma das medidas que integra a proposta do novo regime de formação na administração pública que a secretária de Estado Carolina Ferra quer começar a discutir com os sindicatos.

Na proposta de diploma, a que o Dinheiro Vivo teve acesso, reforça-se ainda o papel da Direção-Geral para a Qualificação dos Trabalhadores em funções Públicas (INA) como entidade coordenadora da formação e clarificam-se as modalidades de formação: inicial (para quem vai entrar no Estado) e contínua. Cria-se ainda uma tipologia expressamente direcionada para os trabalhadores em valorização profissional – que vai substituir a requalificação a partir de janeiro. Neste caso o objetivo é o reforço de competências dos trabalhadores de forma a que possam mais facilmente ser reencaminhados para outro serviço".
Leia a notícia aqui:




4 comentários:

Fernando Barroso disse...

Sim.
A formação é sempre necessária e fundamental para um melhor desempenho.
Não é possível (nem justo) continuar a exigir aos Assistentes Operacionais aquilo que se exige sem apoio para que a classe possa (como deve) crescer.

Anónimo disse...

Ninguém tem dúvidas que os AO´s são imprescindíveis nos serviços de saúde, mas como alguém dizia anteriormente os salários são baixos em relação ao trabalho que fazem.
A culpa é de todos os AO´s, organizem-se e lutem por melhores salários.
Façam greve, parem e vão ver a confusão que vai dar, verdade verdadinha, os enfermeiros e médicos devem ganhar mais que um AO, mas os serviços sem AO´s não funciona bem, dará confusão, nenhum serviço hospitalar funciona bem sem os AO´s.
Por isso digo mais uma vez, organizem-se, exigam mais salários, façam greve, parem.

Onde está o vosso sindicato?

20.11.16
Anónimo Anónimo disse...
Estou de acordo com o comentário anterior.

TUDO À GREVE

O sindicato dos técnicos auxiliares de saúde NÃO VALE NADA.

Se baixarem os braços serão mais espezinhados, quanto mais se baixam mais se lhes vê o cu.

Talvez não tenham sindicato, é o momento para o criar, exigir já novas condições, lutem por aquilo a que têm direito.

TUDO À GREVE JÁ

20.11.16

joaquim pedro silva disse...

como e que valemos alguma coisa se nem sequer existimos no sns nem aparece a nossa carreira so aparece quadros superiores de todas as valencias mas a nossa assistente operacional nem auxilar de açcao medica nada existe pois nimguem faz nada pela nossa carreira

josnumar disse...

Está na hora de acordar!